Parcelamento no cartão de crédito: Entenda como ele funciona

Se existe algo que a gente já se acostumou a fazer é parcelar compras no cartão de crédito. Principalmente, quando o produto que estamos comprando custa um valor mais alto, improvável de termos a vista. Mas, afinal, você já parou para pensar como funciona o parcelamento no cartão de crédito?

Acontece o tempo todo. A gente deseja um item que custa mais caro do que temos na conta, às vezes, até mais alto do que o nosso salário. Uma geladeira, uma televisão, um smartphone mais avançado, um notebook.

Parcelar é poder, muitas vezes. Isso porque isso aumenta o nosso poder de compra. Por isso que a alternativa se tornou tão popular desde quando surgiu, na década de 50, após a popularização dos crediários.

Como você já sabe, o nosso propósito é ajudar na formação do seu conhecimento financeiro! Se você costuma utilizar este recurso tão importante, não pule este artigo para entender direitinho como funciona o parcelamento no cartão de crédito!

O que significa comprar a prazo ou no crédito?

Comprar no cartão de crédito é como pegar um empréstimo no banco, só que instantâneo, porque temos apenas um mês para devolver o valor – que pagamos na fatura, lembra?

Pagar pelas compras no cartão é comprar a prazo, já que não gastamos o nosso dinheiro no momento da compra. No momento exato em que passamos o cartão de crédito, é o banco quem está pagando – ou seja, nos emprestando o valor.

Quando pagamos a fatura, encerramos o ciclo e o limite de crédito é novamente liberado. Resumindo: o banco empresta o dinheiro, a gente paga a fatura, ganha o limite de volta e ainda acumula alguns pontos de benefício, na maioria dos cartões de crédito.

Como funciona o parcelamento no cartão de crédito?

Desconsiderando os cartões de crédito oferecido para multimilionários, todos os demais cartões possuem um limite de crédito. Estamos falando, aqui, de crédito liberado pelo banco, no cartão, para que você possa fazer as suas compras.

Obviamente, esse valor não pode ser extrapolado, independentemente de parcelar alguns itens ou não. Vamos formar um exemplo, juntos, para que você possa entender melhor. Confira abaixo:

Digamos que o limite do seu cartão de crédito seja de R$ 10 mil, e você esteja de olho naquele smartphone mais moderno, que custa por volta de R$ 4 mil. Você tem o poder de compra, e está realmente precisando de um aparelho com mais recursos para trabalhar melhor.

Então, você faz a compra e parcela em 10x de R$ 400. Embora o valor na fatura mensal seja o de 400 reais, a compra irá comprometer o limite em seu valor original, de R$ 4 mil. Logo, 40% do limite será comprometido. Não é o mais indicado, mas o poder de compra é seu, para fazer com ele o que bem entender.

Por isso, a gente está sempre frisando a importância do planejamento financeiro na vida das pessoas.

Através dele, você pode programar todas as compras que vai precisar fazer, sem precisar comprometer o seu orçamento e sem cair nas dívidas, coisa que acontece muito com quem utiliza o parcelamento do cartão de crédito e o cartão em si, de maneira pouco cuidadosa.

E quando não parcelamos a compra no cartão de crédito? 

Quando a gente não parcela, o valor integral da compra ocupa o limite da mesma forma, só que por menos tempo. Não parcelar significa que você vai pagar por aquela compra até a data do vencimento da próxima fatura, onde ela estará discriminada.

Digamos que o seu limite seja de R$ 10 mil e você compre no crédito à vista – como são chamadas as contas não parceladas, no crédito – uma geladeira que custa R$ 3 mil. 30% do limite será comprometido.

Acontece que você não parcelou, e se comprometeu a pagar pelo valor de R$ 3 mil na próxima fatura – a que virá no mês vigente ou, dependendo da data da compra, no consecutivo. Os 30% comprometidos serão liberados logo após este pagamento, e ainda sobram R$ 7 mil para fazer as demais compras do dia a dia.

É melhor parcelar no cartão de crédito ou comprar à vista?

O parcelamento no cartão de crédito é uma das melhores funções do plástico. Mas, sem cautela, pode parecer que você tem mais grana no orçamento do que o que realmente possui. Lembra que falamos da importância do planejamento financeiro? A reeducação financeira, de maneira constante, é outra ferramenta da qual é preciso lançar mão para manter as finanças saudáveis.

A gente sabe que resistir ao parcelamento não é fácil, ao mesmo tempo que ele não é, necessariamente, um vilão das finanças. Parcelar as compras pode ser bem vantajoso, se feito com planejamento, como mencionamos acima.

O segredo está em fracionar as compras e encaixar tudo no seu orçamento, de forma que ainda sobre uma grana para você guardar, investir ou as duas coisas. Dê preferência ao parcelamento de itens que você vai utilizar e usufruir por muito tempo.

Os gastos do cotidiano não devem ser parcelados! Eles devem estar dentro da sua planilha de gastos mensais, já que logo se repetirão. Parcelar essas compras pode acumular valores, ainda mais com as taxas de juros – e isso pode te trazer dívidas altas. Portanto, nesses casos, é melhor pagar à vista, nem que seja no crédito mesmo.

Artigos Relacionados

Em Alta

Aguarde…

0