Empréstimo para desempregado: Melhores opções e como fazer

Está desempregado e precisa de um empréstimo para organizar as finanças? Veja como contratar

Quem está desempregado sabe da luta que é para conseguir crédito no mercado. Sem emprego, não dá para comprovar renda – o que costuma ser crucial na hora de ter acesso ao crédito. Afinal de contas, é preciso provar que você terá como quitar as parcelas. Mas, há opções! Empréstimo para desempregado existe e pode te ajudar a sair do vermelho ou, quem sabe, até financiar o seu próprio negócio!

O Brasil, atualmente, tem mais de 14 milhões de trabalhadores desempregados. É muita gente! E todo mundo, sem exceção, precisa de dinheiro para pagar as dívidas e sobreviver. Sem grana, as dívidas vão se acumulando e deixam a situação ainda mais complicada.

Um empréstimo para o desempregado, quando bem utilizado, pode ser a solução dos seus problemas. Mas, para isso, é preciso colocar em prática os conceitos de uma boa educação financeira. Só assim é possível prosperar, certo?

Existem três diferentes tipos de empréstimo para desempregado. Eles não solicitam comprovante de renda e são fáceis de solicitar. Se você está sem emprego e sem grana, não pule este artigo! Acompanhe a leitura até o final e saiba como garantir o seu empréstimo para desempregado o quanto antes!

Empréstimo para desempregado – Dá para fazer mesmo?

Sim! Quem está sem emprego ainda tem chances de solicitar um empréstimo mesmo sem ter como comprovar renda. Mas, neste caso, os bancos e as instituições financeiras precisarão de garantias acerca do pagamento da dívida.

É que ao emprestar dinheiro para quem não tem renda certa, eles correm mais riscos de tomarem prejuízo. Também por isso, as taxas de juros do empréstimo para desempregado costumam ser mais altas do que as das linhas de crédito tradicionais.

Mas, se disséssemos que o empréstimo para desempregado não existe, estaríamos mentindo. Antes de mais nada, separe o seu CPF, RG ou comprovante de residência. Pode ser que o banco também solicite o contato de parentes próximos, afim de comprovar informações. Caso isso ocorra, deixe essas pessoas avisadas sobre uma possível ligação do seu banco, combinado?

Se você estiver desempregado, mas tiver um bom Score de crédito e o menor número possível de dívidas, fica mais fácil ter o crédito aprovado.

Confira abaixo as três principais modalidades de empréstimo para desempregado!

Empréstimo com garantia de bens

Essa é a modalidade de empréstimo para desempregado com as menores taxas de juros. Nesse tipo de crédito, a garantia pode ser um imóvel, um veículo ou outros bens de valores!

Para falar a verdade, o empréstimo com garantia de bens é o “queridinho” dos bancos. Como a garantia do pagamento é um bem de valor, não existe chance das instituições não receberem o dinheiro de volta.

Assim, as taxas de juros e as demais cobranças, como encargos, são as mais baixas do mercado. E os prazos também são maiores! Alguns empréstimos com garantia chegam a parcelar a dívida em 20 ou 30 anos.

Sem falar dos valores que, por causa da garantia, costumam ser elevados. Muitas vezes, o valor do empréstimo equivale a 80% do valor total do bem dado como garantia.

É preciso, no entanto, tomar muito cuidado com esse tipo de empréstimo. O não pagamento das parcelas resulta na tomada do bem pelo banco. Mas, calma! É possível renegociar, caso algum imprevisto aconteça. Só esteja atento!

Microcrédito

Existe um tipo de empréstimo para desempregado chamado de microcrédito. A linha de crédito se chama assim por disponibilizar pequenas quantias de dinheiro.

O microcrédito costuma oferecer prazos médios e juros um pouco abaixo da média. A principal vantagem dessa modalidade é que o primeiro pagamento demora para chegar!

É nesse período que os desempregados que conseguem o empréstimo põem a mão na massa e vão à luta para conseguir renda, seja procurando um novo emprego ou abrindo o seu próprio negócio!

Empréstimo sem garantia de renda

Esta modalidade é difícil, mas não impossível. Existem bancos que emprestam mesmo sem comprovação de renda, mas são poucos! A maioria tem receio de que a quantia nunca retorne e, por isso, não emprestam.

Logo, os bancos que emprestam sem comprovação de renda cobram taxas de juros altíssimas! Muitas vezes, termina compensando. O valor oferecido fica menor – e o que você terá de pagar de volta, muito maior!

Portanto, das três opções que apresentamos, o empréstimo sem garantia de renda é a que menos vale a pena.

Estou desempregado – Como não acumular dívidas?

O povo brasileiro é carente de educação financeira. Por isso, vivemos apagando incêndios quando o assunto é dinheiro. Concorda?

Se com uma renda mensal já fica difícil, imagina sem? Estar desempregado, no Brasil, é sofrer com as dívidas acumuladas. E, infelizmente, mais de 65% da população brasileira está endividada no momento.

Para não acumular ainda mais dívidas, leia o nosso artigo sobre reeducação financeira. Coloque todas as suas dívidas na ponta do lápis, negocie com os credores e volte a recuperar a saúde das suas finanças até que encontre uma nova fonte de renda mensal.

Este artigo foi útil para você? Então, não esquece de compartilhar com seus amigos e familiares, através das redes sociais!

Em Alta

Aguarde…

0