Empréstimo para quitar dívidas: Vale a pena pedir?

Confira se e quando vale a pena contratar um empréstimo para quitar as dívidas

Falar sobre débitos nunca é confortável, afinal de contas, ninguém gosta de dever. Mas, uma vez diante deles, não adianta correr. A questão que queremos levantar hoje é: vale a pena contratar um empréstimo para quitar dívidas? E como ter certeza que essa é a melhor opção?

Não pagar as contas no prazo combinado traz, de fato, muitas dores de cabeça. As consequências de estar no vermelho vão além do financeiro: são psicológicas e fazem muita gente perder o sono.

Mais de 75 milhões de brasileiros se encontram endividados neste exato momento. O nosso palpite é que você é deles ou, pelo menos, conhece uma dessas pessoas. Os dados são do SPC, o Serviço de Proteção ao Crédito.

Diante de tantas contas não pagas e de outras que continuam chegando, brasileiro recorrem ao empréstimo pessoal para ganhar um respiro! No entanto, quem não o faz da maneira correta, termina acumulando ainda mais dívidas na sua enorme bola de neve. 

Quer saber se tomar um empréstimo para pagar as dívidas vale a pena e quando fazer isso? Então, confira o nosso artigo até o final. Boa leitura!

Vai pedir empréstimo para pagar dívidas? Veja os pontos a considerar

1 – Juros da dívida e juros do empréstimo

No artigo em que damos dicas para se livrar das dívidas, te contamos que o primeiro passo para se livrar delas é saber EXATAMENTE o quanto você deve, no total. Depois, analise as taxas de juros dos seus débitos. Elas são mais altas ou mais baixas do que o crédito que você está pensando em contratar?

Se você atrasar a fatura do cartão de crédito, por exemplo, os juros chegam a 329% ao ano. Nestes casos, super compensa pedir um empréstimo, já que eles costumam ter juros bem menores do que o rotativo do cartão.

Só vale a pena solicitar um empréstimo para quitar as suas dívidas se os juros do crédito forem inferiores aos juros da sua dívida, entende?

2 – Há quanto tempo você está endividado?

Um empréstimo pode encurtar o tempo em que você vai estar com uma dívida ativa. Assim, você limpa o seu nome mais rápido, por exemplo.

Nos casos de dívidas parceladas em muitas vezes, o crédito pode ser bem útil, auxiliando na antecipação e ajudando a pagar tudo antes do prazo.

Digamos que você tenha uma dívida de 24 meses. Então, você pega um empréstimo no mesmo valor e quita o débito em 12 meses: vantagem! Lembrando que as parcelas precisam caber no orçamento e que essa decisão deve ser benéfica para as suas finanças.

3 – Seu nome está sujo?

Estar com o nome nos órgãos de proteção ao crédito, como SPC e Serasa, não é nada positivo. Antes que a situação se agrave e que o seu score de crédito vá parar lá embaixo, vale a pena pedir crédito para limpar o seu nome, pagando essas dívidas.

Se a vaca já tiver ido para o brejo e seu score estiver abaixo dos 400, considere um empréstimo para negativado. Existem diversas opções interessantes – e algumas delas estão na aba “Empréstimos” aqui dp blog!

4 – Vai receber desconto por quitar o débito?

Às vezes, o desconto que se recebe ao quitar um débito é tão grande que vale a pena, sim, contratar um empréstimo para quitar a dívida.

Se a sua situação for essa, analise bem a possibilidade de contratar o crédito para aproveitar o valor mais baixo. No entanto, lembre-se sempre de que existem juros. Para que a operação valha a pena para o seu bolso, é necessário que o valor total do empréstimo seja menor do que o valor original da dívida.

Vai pedir o empréstimo? Se liga nessas dicas

Evite as dores de cabeça. Faça um planejamento para que o empréstimo não comprometa mais do que 30% da sua renda e evite pegar dois empréstimos ao mesmo tempo. 

Provavelmente, você ainda não tem um orçamento pessoal nem uma planilha de gastos. Chegou a hora de começar a ter! Você está endividado, e a organização financeira é crucial para quem deseja sair dessa situação.

Não escolha qualquer empréstimo! Pesquise, analise e escolha aquele que tiver as melhores condições. Compare juros, condições de pagamento, prazos e Custo Efetivo Total (CET).

Lembre-se sempre de SIMULAR. É através do simulador que você toma conhecimento das condições reais do seu empréstimo. O Custo Efetivo total, por exemplo, é o valor total do seu empréstimo já acrescido das taxas de juros e outros encargos cobrados pelas financeiras para realizar a operação.

E aí, vai pedir um empréstimo para quitar dívidas ou acha que ainda não é a hora? Se este artigo foi útil para você, não deixe de compartilhar com os seus amigos e familiares, através das suas redes sociais!

Em Alta

Aguarde…

0