Projeções indicam alta da Selic em 2023 – Entenda!

Confira as projeções do mercado para a Selic e quais as expectativas para o cenário financeiro do Brasil

Projeções apontam que, de acordo com a evolução econômica do Brasil, em 2023, a Selic vai estar mais alta. O PIB – Produto Interno Bruto – também deve cair cerca de 1,50 pontos percentuais.

As projeções do mercado também apontam que, para 2024 e 2025, o crescimento da taxa básica de juros deve ficar nos 1,90%! Dessa forma, é preciso estar atento ao comportamento do novo governo.

O IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – afirma que, para formar novas perspectivas, é necessário aguardar o fim do primeiro trimestre de 2023. A movimentação é comum, já que uma transição de governo acaba de acontecer.

É por isso que especialistas financeiros estão recomendando investidores a não fazer movimentos bruscos e a prestar muita atenção no mercado financeiro do país.  Confira neste artigo quais são as projeções para a taxa Selic este ano.

Aumento da Selic – Quais as expectativas?

De acordo com as projeções feitas por analistas financeiros, a taxa básica de juros deve sofrer uma alta substancial neste ano. O mercado prevê o aumento de 12% até o final do primeiro trimestre.

As projeções também indicam que a Selic deve voltar a cair ao longo do ano de 2024! É claro que, para toda estimativa, existe uma margem de erro. Neste caso, a margem fica em 1,5% para baixo ou para cima.

A alta da Selic indica também que o dólar deve continuar com o mesmo valor do atual. A má notícia é que investidores estão bastante preocupados em relação a este cenário específico, por causa da inflação.

De acordo com o mercado financeiro, a inflação, tão temida por todos, deve subir em torno de 5,36% neste ano. Para os próximos dois anos, a projeção continua, com aquela mesma margem de erro que explicamos anteriormente.

Entenda o que o aumento da inflação significa

O Conselho Monetário Nacional, ou CMN, definiu que a meta da inflação para 2023 deve ser de 3,25 pontos.

Os números podem ser considerados caso haja oscilações entre 1,75% e 4,75%. Isso quer dizer que, quanto maior o índice inflacionário de um país, menor será o poder de compra do seu povo.

Caso tudo aconteça como as projeções indicam, existem grandes chances de que o poder de compra de pessoas que recebem até um salário-mínimo caia mais ainda. Isso, é claro, tem preocupado os economistas.

Quando há aumento da inflação, os produtos e serviços que utilizamos no dia a dia ficam mais caros. No entanto, o salário dos trabalhadores continua o mesmo. Isso significa que o seu dinheiro, agora, vale menos do que valia antes.

O CMN é o órgão responsável por definir a meta da inflação todos os anos! De acordo com ele, o cenário de crise econômica deve melhorar um pouco, mas não a ponto de o consumidor menos favorecido perceber isso no próprio bolso.

Por dentro das expectativas

O PIB brasileiro sofreu alta no fim de 2022. O percentual foi de 0,79% e essa alta indica evolução. Afinal de contas, estamos falando do aumento dos bens e serviços do país. Isso gera uma expectativa de PIB estável, com aquela mesma margem de erro que citamos anteriormente.

Isso não parece ser o bastante para acalmar as emoções do mercado. As projeções indicam que o ano deve ser estável e sem muitas oscilações – o que daria continuidade à crise econômica.

De qualquer jeito, é importante manter expectativas boas sobre o cenário da economia brasileira. Hoje, a Selic está em 13,7%. O Comitê de Política Monetária, ou Copom, afirma que os juros também poderão manter-se estáveis – o que seria positivo.

Entenda que os dados que divulgamos ao longo deste artigo são apenas projeções. Eles não são exatos e, com isso, não impedem que a economia tome algum outro curso diferente do previsto. No entanto, é preciso ter cautela.

Aprenda a se preparar para as crises

A inflação existe desde a época do seu bisavô. Por isso, o mais importante, diante destas informações, é saber preparar-se para a crise econômica. Que tal começar a bolar um bom planejamento financeiro e passar a investir?

Não se deixe abalar pelo “fantasma” da inflação. Agir com a emoção, em um momento como este, não é lá uma decisão muito inteligente. Comece a construir uma reserva de emergência para que oscilações econômicas não te abalem tanto.

Dessa maneira, quando o momento de crise chegar, você estará preparado para continuar vivendo a vida normalmente. Atente-se ao mercado, para saber onde investir, e não faça nenhuma mudança brusca na sua estratégia de investimentos.

Gostou do artigo? Conta pra gente nos comentários e não esquece de compartilhar este conteúdo valioso com os seus amigos e familiares nas redes sociais.

Em Alta

Aguarde…

0