Veja como declarar criptomoedas no Imposto de Renda 2022

Transações envolvendo moedas digitais precisam ser declaradas ao Leão. Aprenda como agora

Transações de criptomoedas precisam ser declaradas no seu Imposto de Renda e, a depender do valor movimentado, também é necessário pagar uma porcentagem ao Leão. Comprou ou vendeu o ativo em 2021? Então, fique atento à este artigo, pois vamos te ensinar exatamente como declarar criptomoedas no Imposto de Renda deste ano.

Moedas digitais ainda não contam com regularização específica. Bem, pelo menos não no Brasil. Mesmo assim, o investimento está ganhando espaço na carteira dos investidores brasileiros, e os órgãos fiscais estão de olho nas movimentações.

De acordo com a própria Receita Federal, investidores que possuem valor igual ou superior a R$ 5 mil em moedas digitais precisam declarar os ativos no Imposto de Renda. No entanto, o Imposto só e cobrado quando o lucro das negociações ultrapassa os R$ 35 mil mensais.

O esquema para declarar e pagar impostos relacionados às criptomoedas é o mesmo feito com as ações. Vamos te explicar todos os detalhes ao longos dos próximos tópicos! Pronto para saber como declarar criptomoedas no IR? Vem com a gente!

Criptomoedas, o dinheiro digital

As criptomoedas só existem na internet. São moedas digitais, descentralizadas ou seja: não são controladas por nenhum tipo de órgão ou governo.

Por trás dessa tecnologia, está o blockchain. Trata-se de uma espécie de livro onde estão registrados todos os dados de cada moeda digital que “nasce” no mercado. Graças a ele, é praticamente impossível fraudar o dinheiro digital.

O nome de criptomoeda vem da criptografia utilizada para confirmar cada transação que as envolve. Trata-se de uma codificação avançada presente na transmissão de dados e armazenamento das moedas digitais. Ou seja: o dinheiro digital conta com muito mais segurança e proteção.

Desde 2019 a receita federal obriga a inclusão das movimentações envolvendo criptomoedas no Imposto de Renda. No entanto, qualquer valor abaixo dos R$ 35 mil mensais está isento do pagamento. Entenda a seguir!

É obrigatório declarar criptomoedas no Imposto de Renda?

Como mencionamos acima mais acima, todos os investidores que obtenham aquisição de moedas digitais de R$ 5 mil ou mais, devem declarar anualmente no Imposto de Renda. 

Abaixo desse valor, a declaração é opcional. No entanto, estamos falando, aqui, de criptoativos. Isso significa que, caso você obtenha R$ 5 mil em Bitcoin e R$ 2.500 em Ethereum, por exemplo, só será necessário declarar a Bitcoin!

Sabe converter moedas? Bem, é melhor ir aprendendo, já que a declaração de criptoativos no Imposto de Renda deve ser feita em Real, e a maioria delas tem o dólar e outras moedas estrangeiras como base.

Você deverá considerar sempre o valor de aquisição da moeda, e não o apontado pelo mercado! Em outras palavras: declarar, exatamente, quanto você pagou!

Quanto de imposto é cobrado por criptoativos?

Os lucros com criptomoedas ultrapassaram os R$ 35 mil mensais? Então, vai ter que declarar e ainda pagar uma porcentagem ao Leão.

Lucrou valores inferiores a esse valor? Boa notícia: você está isento do pagamento! Mas, atenção: isso não significa que você está isento de fazer a declaração, certo?

Abaixo, confira a tabela com as alíquotas:

RendimentosAlíquota
Inferior R$ 5 milhões15%
R$ 5 milhões a R$ 10 milhões17,5%
R$ 10 milhões a R$ 30 milhões20%
Superior a de R$ 30 milhões22,5%

É bem parecido com o esquema para declarar as ações. Da mesma forma, é você quem terá de calcular os seus ganhos mensais e emitir o Documento de Arrecadação de Receitas Federais, o DARF.

Como declarar criptomoedas no Imposto de Renda?

No site oficial do sistema da Receita Federal, acesse a ficha “bens e serviços”. Para ficar mais fácil, na busca, procure pelo grupo “08-criptoativos”. Utilize os códigos das moedas digitais presentes na sua carteira: 0=

  • 01 Bitcoins (BTC)
  • 02 Altcoins (ETH, XRP, BCH, LTC)
  • 03 Stablecoins
  • 10 NFTS
  • 99 Demais criptoativos

O valor que você vai declarar é o exato da aquisição, mais custos. Em “discriminação”, você deverá informar qual o tipo de criptomoeda, a quantidade e também o nome de CNPJ da empresa que custodia (guarda) os criptoativos.

Quem não movimentou mais do que R$ 35 mil mensais, deverá acessar a ficha “rendimentos isentos e não tributáveis” para informar a movimentação. Nela, deve constar o lucro total obtido no ano, a partir do código 05 – Ganho de capital na alienação de bem.

Imposto sobre lucro de criptomoedas – Como funciona o pagamento?

Todos os meses, os lucros envolvendo criptomoedas devem ser declarados. Lembre-se que é você o responsável por calcular os seus resultados do mês.

Em seguida, emita o DARF na plataforma oficial da Receita Federal e pague pelo tributo até o último dia útil do mês seguinte ao da operação.

Os ganhos também devem ser registrados no Programa de Apuração de Ganhos da Receita Federal, o GCAP. Portanto, acesse o programa GCAP 2021 e selecione a opção “Exportar para IRPF”.  Agora, salve o arquivo no seu computador.

Em seguida, na plataforma do Imposto de Renda, na ficha “Ganhos de Capital”, selecione “Importação GCAP e faça o upload do arquivo que você salvou. Simples assim!

Este artigo foi útil para você? Então, não deixe de compartilhar nas suas redes sociais! Aproveite para conferir o nosso artigo sobre as 5 criptomoedas mais promissoras para investir em 2022!

Em Alta

Aguarde…

0