Investir em consórcio de imóveis vale a pena?

Conheça todos os detalhes sobre o consórcio de imóveis e veja se ele é a melhor opção para você

Contratar um consórcio de imóveis pode ser o caminho ideal para quem busca realizar o sonho da casa própria. No entanto, muitas pessoas ainda desconfiam se essa é a melhor forma de adquirir o bem. Afinal, contratar um consórcio de imóveis como forma de investir vale a pena?

De todas as alternativas de crédito que existem no mercado financeiro, o consórcio é a única que não cobra juros pela operação. Este é um dos fatores que atraem tanta gente. Existem algumas pequenas taxas, porém, todas estão embutidas no valor da parcela e acabam passando despercebidas pelos contratantes.

Com o intuito de te informar melhor a respeito dessa forma de adquirir o seu imóvel, vamos te falar contar os principais detalhes sobre a modalidade de crédito no artigo de hoje.

Portanto, se você deseja adquirir um imóvel e ainda não tem certeza se investir em um consórcio é a melhor opção, faça a leitura completa deste artigo. Vamos lá?

O que é um consórcio imobiliário?

O consórcio de imóvel funciona como os demais tipos de consórcio. Nele, varias pessoas interessadas em um imóvel de valor equivalente participam de um grupo onde cada um deve pagar parcelas mensais. O dinheiro arrecadado gera um fundo com o valor total do imóvel todos os meses.

Mensalmente, os administradores do consórcio realizam um sorteio que destina o valor do fundo para a compra do imóvel de um dos participantes. O consórcio dura a quantidade de meses que leva para que todos os participantes sejam contemplados com o valor do seu imóvel.

Existem ocasiões onde os participantes também podem oferecer antecipação de pagamento – a isso, dá-se o nome de lance. Pela regra, o maior lance leva a carta de crédito, que contempla o participante com o valor do bem.

Digamos, por exemplo, que você seja um dos participantes e decida quitar 50% da dívida à vista em um determinado mês. Se ninguém der um lance maior, você será contemplado com a carta de crédito, sem a necessidade do sorteio.

Quais são os custos de contratar um consórcio de imóveis?

Ouvimos muito dizer que o consórcio é a melhor alternativa para comprar um imóvel porque não cobra taxas de juros e por ser um tipo de poupança coletiva.

No entanto, é preciso estar ciente de que existem taxas embutidas no valor da parcela mensal. A TA, ou Taxa de Administração, é paga para a administradora por formar e gerir o grupo.

Tem também o Fundo de Reserva, conhecido pela sigla FR. Ele é responsável por manter o consórcio funcionando mesmo quando houver participantes inadimplentes.

Comparadas às demais alternativas de crédito do mercado, como o financiamento, por exemplo, essas taxas são realmente mais baixas e tornam o consórcio a opção mais barata para quem deseja adquirir um imóvel.

Consórcio é investimento?

De acordo com consultor financeiro Marlon Glaciano, contratar um imóvel não vale a pena se o seu objetivo for investir. Ele afirma que o consórcio sequer chega a ser um investimento, por não gerar rendimentos.

Pensando em investir? Confira o nosso artigo sobre como funciona o mercado de ações!

Já para Tatiana Schuchovsky, diretora e presidente da Ademilar, empresa pioneira em consórcio de imóveis, muitos participantes adquirirem suas cotas pensando em garantir rentabilidade ao alugar o imóvel comprado. De fato, uma das vantagens de alugar um imóvel é garantir renda vitalícia – e isto pode ser considerado um rendimento.

Digamos que você contrate um consórcio e seja contemplado. Daí, você adquire o imóvel e o aluga. O valor do aluguel é um rendimento que pode ser utilizado, inclusive, para pagar as parcelas que ainda faltam.  Você pode, ainda, utilizar o valor para repetir a operação e criar uma carteira de imóveis, passando a viver da renda dos aluguéis.

Portanto, consórcios podem ser considerados como investimentos, mas quando adquiridos com esse tipo de intenção.

Como contratar um consórcio de imóveis?

Se você deseja contratar um consórcio, seja para comprar um imóvel para morar ou investir, o primeiro passo é escolher um banco ou instituição de confiança que ofereça o serviço.

Em seguida, informe a intenção de contratar uma cota e forneça os dados e documentação exigida pelo banco ou instituição escolhida. Você passará por uma fase de análise cadastral antes de assinar o contrato.

Realize uma pesquisa na internet para achar a melhor oferta para o seu bolso. Você também pode contar com ajuda de um consultor para simplificar está etapa.

Este artigo te ajudou? Então, não esquece de compartilhar com os seus amigos e familiares através das suas redes sociais. Antes de ir, aproveite para conferir nosso artigo sobre “Aluguel x compra de imóvel: o que é melhor?”.

Em Alta

Aguarde…

0