Preço médio das ações: Veja como é fácil calcular

O preço médio das ações é um cálculo super importante! Sim, é ele que identifica a melhor hora para comprar ou vender. Mas, para além disso, é o valor obtido neste cálculo que vai para a declaração do Imposto de Renda da Receita Federal.

Todo investidor que mexe com ações já sabe – ou pelo menos, deveria saber – que elas devem ser declaradas! A cobrança ou não de tributos vai depender de quanto você lucrar. No entanto, declarar é obrigatório.

E para quem vai declarar seus ativos, saber calcular o preço médio das ações é indispensável. Tudo começa com a identificação dos custos e volumes dos ativos que você possui.

Tudo isso pode ser encontrado nas notas de negociação, que se encontram na plataforma da corretora de valores. Vem com a gente que hoje vamos te ensinar a fazer o cálculo do preço médio das ações!

Preço médio das ações – Entenda

Com certeza você está familiarizado com a palavra média. Na escola, quando pequenos, convivíamos com a média escolar, por exemplo.

O preço médio das ações, também conhecido no mercado financeiro pela sigla PM, é um cálculo. Utilizamos para calcular a média de preços pagos por um investidor quando comprou uma determinada ação na Bolsa.

O cálculo da média deve ser feito porque, normalmente, investidores compram mais das mesmas ações ao longo do tempo. No entanto, os preços pelos quais ele adquire o ativo serão sempre diferentes.

Quando calculamos o preço médio, podemos definir quanto foi pago por cada ação. Temos então um número concreto que pode ser levado à declaração do Imposto de Renda. Temos também um referencial indicando o melhor momento para comprar ou vender a ação.

Como calcular o preço médio das ações?

Bem, já está claro que é preciso saber o preço médio das ações para poder declará-las no seu Imposto de Renda. E como mencionamos, este cálculo começa quando você descobre os volumes e custos das operações que você fez.

Para sintetizar melhor, confira a lista com as informações que você precisa reunir para calcular o preço médio das suas ações:

  • Preço da unidade da ação em cada operação
  • Volume de ações que adquiriu em cada uma das compras, separando day trade de swing trade
  • Custo total da aquisição das ações, com taxas de operações e corretagem.
  • Quantas ações existem na sua carteira.

Agora, digamos que você comprou um lote de ações duas vezes, no mesmo mês. Você deverá multiplicar a quantidade de ações compradas pelo preço, e depois somar as taxas! Exemplo:

Se a sua primeira compra foi de 100 ações a R$ 30 cada uma, temos R$ 3 mil. Mais as taxas – digamos que elas custem R$ 20. Logo, o total fica em R$ 3.020.

Na segunda compra, você comprou mais 100 ações. Dessa vez, cada uma custou R$ 25. Logo, teremos R$ 2.500 + R$ 10 da taxa, que é igual a R$ 2.510.

Agora, você vai calcular da seguinte forma.

Primeira compra + Segunda compra dividido pela quantidade total de ações. Isso quer dizer:

R$ 3.020 + 2.510 / 200 = R$ 27,65 – o resultado final configura o preço médio da ação!

Mesmo que todas as suas ações sejam vendidas, o preço médio delas não se altera. Na hora de declarar, considere, apenas, o valor da média, nunca da venda.

Como utilizar o preço médio das ações como estratégia?

O cálculo do preço médio é utilizado pelos investidores para a tomadas de decisão. Quando uma ação perde valor de mercado, compra-se mais lotes para reduzir a média.

Digamos que você comprou 100 ações e pagou R$ 15 por cada uma delas e R$ 10 de taxas. Neste caso, o preço médio será de R$ R$ 15,10.

Se a ação cair para R$ 12, você compra mais um lote e diminui ainda mais a média. Pegou o feeling?

No entanto, se o preço das ações continuar caindo, você vai ter prejuízo. O interessante, neste caso, é mirar em boas empresas as quais você já sabe que as ações, muito provavelmente, terão alta após a compra.

Nem sempre focar apenas no preço médio vai te trazer benefícios, como você pode notar. Quando a desvalorização das ações tem uma causa real, significa que algo na empresa mudou – muito provavelmente, seus resultados financeiros.

Verifique sempre o motivo por trás da queda das ações, para não correr o risco de perder seu patrimônio. Pense se você recompraria as ações no preço de hoje. Se a resposta for sim, pode comprar! Mas se você estiver pensando apenas em reduzir o custo médio, essa pode não ser uma decisão tão sábia.

Agora que você já sabe fazer o cálculo do preço médio das ações, use e abuse do seu conhecimento, tanto na hora de declarar as suas ações à Receita Federal, quanto na hora de investir!

Não guarde esse conhecimento só pra você. Compartilhe nas suas redes sociais! E não e esquece de falar pra gente o que você achou desse artigo, aqui embaixo nos comentários!

Em Alta

Aguarde…

0