CDB ou Tesouro Direto: Em qual deles é melhor investir?

Conheça as especificidades de cada um e descubra qual é o mais vantajoso para você

Devo investir em CDB ou Tesouro Direto? Esta é uma dúvida comum entre investidores de perfil conservador, que preferem concentrar os investimentos em Renda fixa, menos voláteis. Se este for o seu caso, seja vem vindo ao artigo de hoje: nós, do blog Ciclick, vamos tirar a sua dúvida de uma vez por todas!

Caso você esteja pensando em começar a investir agora, este texto também é para você. O mercado de investimentos é amplo e, para se obter sucesso, é preciso dominar o máximo de conhecimento sobre o tema. Neste sentido, o artigo de hoje também pode te ajudar.

Quando o investidor de perfil conservador – que tem baixa tolerância a riscos – tira o seu dinheiro da poupança, ele faz isso para proteger o seu patrimônio, ao mesmo tempo em que aumenta a rentabilidade do valor que tem guardado.

Os títulos negociados no Tesouro Direto e CDB são algumas das principais ofertas do mercado de Renda Fixa. Por isso, logo surge a dúvida sobre qual deles é a melhor opção para se investir. A resposta definitiva você vai encontrar na leitura completa deste artigo!

Quer saber qual dele é mais vantajoso: CDB ou Tesouro Direto? Vamos te ajudar a descobrir agora para que você faça sempre as melhores escolhas relacionadas ao seu dinheiro. Preparado? Então, vem com a gente!

Investimento em CDB – Como funciona?

A pergunta que não quer calar é: CDB ou Tesouro direto? Bem, as duas alternativas têm pontos positivos e negativos. O negócio é que elas são indicadas para momentos e objetivos diferentes! Logo, escolher entre elas vai exigir um pouco de análise de sua parte, para que tome uma decisão com base no que você busca a longo prazo.

Primeiro, vamos falar um pouco sobre o investimento em CDB e como ele funciona, certo?

O Certificado de Depósito Bancário é o investimento que chamamos de CDB. As instituições financeiras utilizam o CDB como uma forma de arrecadar mais recursos e tocar alguns projetos internos.

Esse tipo de investimento é como uma operação de crédito pessoal, só que ao contrário. Na prática, é você quem empresta uma quantia ao banco, que te devolve o valor com juros. Muitos investidores apostam no CDB porque ele paga 100% do CDI, índice que acompanha a Selic.

É possível emitir títulos privados através de diversos bancos e corretoras de valores. O dinheiro que você aplica serve para financiar empréstimos de outros clientes ou custear operações e projetos internos do banco. 

Tipos de CDB

Os Certificados de Depósito Bancários São divididos em três categorias e nós vamos conferir cada uma delas agora mesmo:

  • Prefixados: esses títulos tem taxa fixa de juros. Ela é definida no momento da aplicação. Desta forma, o investidor sabe, exatamente, quanto vai lucrar no fim do contrato.
  • Pós-fixados: os títulos pós-fixados têm o seu rendimento diretamente ligado a índices econômicos, como a Selic, por exemplo. Logo, o investidor não sabe quanto vai lucrar no fim do contrato, já que esses índices podem variar com o decorrer do tempo.
  • Híbridos: os CDBs Híbridos são uma mistura dos pré com os pós fixados. Para compensar a variação da taxa pós-fixada, uma taxa pré-fixada é adicionada aos resultados.

Investimento em Tesouro Direto – Como funciona?

O Tesouro Direto é mais ou menos como o CDB. Só que, ao invés de emprestar dinheiro para o banco, você estará emprestando uma grana para o Governo Federal. Uma vez que ele toma o seu dinheiro emprestado para garantir a realização de seus projetos, ele te devolve com juros.

Essa é uma das aplicações mais usadas por investidores quando o objetivo é formar uma reserva de emergência, por exemplo. É que o investimento é simples, muito seguro e rende mais do que a poupança.

O investidor consegue saber, antes de comprar o título, qual será a estimativa de rendimentos para a quantia investida no Tesouro Direto. Esse tipo de investimento ficou bem popular depois que ele se tornou uma das maneiras de aplicar mais democráticas dentro do mercado de investimentos! Com apenas R$ 30, já é possível investir no Tesouro Direto.

Sem contar que as aplicações do Tesouro Direto têm liquidez diária. Neste tipo de aplicação, os investidores podem resgatar o valor aplicado quando desejarem! No entanto, para garantir os rendimentos totais da operação, é necessário que o valor permaneça aplicado até a data do vencimento do contrato.

Afinal, o que é melhor: CDB ou Tesouro Direto?

Escolher entre CDB ou Tesouro Direto vai depender, basicamente, dos seus objetivos. É preciso levar em consideração a liquidez, a rentabilidade e a segurança dos investimentos.

Os títulos do Tesouro são garantidos pelo Governo Federal, que é uma instituição que apresenta bem menos riscos do que empresas privadas. O CDB, por outro lado, é garantido apenas para valores abaixo ou até R$ 250 mil pelo Fundo Garantidor de Crédito. Logo, o Tesouro Direto tem vantagens quando o assunto é a segurança do investimento.

No entanto, se o assunto for potencial de rentabilidade, o CDB está em vantagem, especialmente se forem os de instituições financeiras menores, que estão em busca de investidores.

Outro aspecto importante a ser considerado é a liquidez. Neste caso, os títulos do Tesouro tem liquidez diária, enquanto os CDBs só oferecem liquidez na data do vencimento do contrato.

Portanto, antes de escolher entre CDB ou Tesouro Direto, tenha em mente quais são os seus objetivos com investimentos no momento! Não existe, de fato, uma opção melhor ou pior do que o outra, entende?

E aí, já avaliou qual deles é melhor para você: CDB ou Tesouro Direto? Se este artigo foi útil para você, não deixe de compartilhar o conteúdo também com os seus amigos investidores, especialmente aqueles que estão começando agora!

Em Alta

Aguarde…

0