Clube de Investimento: Aprenda a investir em conjunto na Bolsa

Entenda por que os clubes de investimentos fazem tanto sucesso entre os investidores brasileiros

Você por acaso já ouviu falar sobre Clubes de investimento? Bem, como o próprio nome sugere, são grupos que tem como integrantes pequenos investidores que buscam ingressar no mercado de ações.

É uma maneira mais leve de ter o primeiro contato com a Bolsa de valores, entende? Uma forma de ter acesso a produtos financeiros mais rentáveis, sem precisar se arriscar sozinho, comprometendo grandes quantias de dinheiro.

Em um grupo de investimento, você vai investir junto com mais pessoas, como em um fundo. Podem ser grupos de 3 a 50 investidores, que unem os seus recursos para comprar ações na Bolsa.

Quer saber, exatamente, como um Clube de Investimento funciona? Então, prepara-se para expandir os seus conhecimentos financeiros agora, através da leitura deste artigo!

Anúncios


O que é um Clube de Investimentos?

Se você deseja dar os seus primeiros passos no mercado de ações, ou seja, na Bolsa de Valores, o Clube de Investimentos é uma boa opção.

Na prática, ele nada mais é do que um grupo integrado por pequenos investidores. Todos têm um objetivo em comum: acessar produtos financeiros mais rentáveis.

O Clube permite que esse grupo de pessoas invista em conjunto. Para que isso aconteça, todos compartilham da mesma carteira de investimentos, dividindo todos os custos e lucros igualmente.

Um Clube de Investimento pode unir amigos, familiares ou pessoas aleatórias que tenham o mesmo interesse. O que importa, na verdade, é que todos estejam em comum acordo acerca dos investimentos a serem realizados.

Como funcionam os Clubes de Investimento?

negociação em um clube de investimento

Cada investidor do grupo realiza a compra de um número de cotas. O retorno do investimento depende da valorização delas! Essas cotas são como as de um fundo de investimento.

Anúncios


Só que os Clubes de Investimento não podem existir sem a liderança de um profissional devidamente autorizado pela CVM, a Comissão de Valores Mobiliários.

Ele também deve seguir as normas e regulamentações do Órgão e às regras da Bolsa de Valores brasileira, a B3.

Anúncios


Apenas pessoas físicas podem fazer parte de um Clube de Investimento. Se você deseja entender como funciona a Bolsa de Valores na prática, arriscando os seus primeiros investimentos, vale a pena fazer parte de um clube assim.

Clube de Investimento X Fundo de Investimento

Os nomes e os propósitos dessas duas diferentes formas de investir podem ser bem semelhantes, mas as diferenças existem!

Um fundo de investimentos não tem limite de participantes. Já os clubes podem ser compostos por no máximo 50 pessoas.

Fundos são registrados na CVM. Já os clubes precisam apenas de um profissional devidamente registrado e documentação em seu nome.

Para finalizar, as cotas de clubes não podem ser negociadas na bolsa, diferentemente das cotas dos fundos, que podem ser compradas e vendidas diariamente.

Anúncios


Quais são as regras de um Clube de Investimentos?

Em um Clube de Investimento, ninguém detém mais do que 40% das cotas. Além disso, 67% da carteira de investimentos deve ser composta apenas por ações; e o restante, por fundos de renda fixa, como Tesouro Direto ou CDBs, por exemplo.

O Clube pode ser administrado por um dos integrantes. Ele deve ser eleito em uma assembleia com todos os outros membros.

Todas as transações deverão ser realizadas por uma corretora de valores e, a cada 6 meses, haverá desconto de uma alíquota de 15%.

Quais são as vantagens de participar?

A eficiência fiscal pode ser listada como uma das principais vantagens dos Clubes de Investimento. Como o iImposto de Renda é pago na hora do resgate, é um administrador do clube que o recolhe.

Além disso, esse tipo de investimento é coletivo, o que o torna de fácil acesso! Cada integrante entra com uma parte do valor e acessa investimentos que talvez não conseguiria fazer sozinho.

Anúncios


Sem falar na diversificação, não é? Quem investe em conjunto, investe com um patrimônio maior! Isso permite uma carteira de investimentos mais diversificada.

Ah, e tem também o acompanhamento! Ao investir sozinho, você vai precisar acompanhar resultados, montar, seguir ou mudar estratégias. Já investindo com um Clube, quem faz isso é o gestor. 

Por isso que os Clubes de investimento são ótimas opções para quem deseja investir na Bolsa, mas não tem tempo para se dedicar à tarefa.

Como abrir um Clube de Investimento?

fechando contrato com um clube de investimento

Primeiramente, é preciso reunir um grupo de 3 e a 50 pessoas que tenham o mesmo objetivo. O grupo deve, então, abrir uma conta em uma corretora ou banco de investimentos.

Juntos, os participantes deverão decidir o valor da aplicação inicial de cada um, qual será a política das contribuições mensais, o prazo de funcionamento do clube, a convocação de assembleias, as operações e as preferências de investimentos.

Para finalizar, o nome do grupo deve seguir para a Comissão de Valores Mobiliários para que ela aprove a fundação.

Anúncios


Depois desse processo, a contribuição inicial de todos os cotistas é transformada em cotas do Clube.

Dica bônus – Quais cuidados tomar?

Antes de entrar em um clube de investimentos, esteja ciente dos riscos. Bolsa de valores é um investimento de renda variável – e as aplicações são mais arriscadas por lá.

Por isso mesmo, elas oferecem retornos melhores quando tudo dá certo. De toda forma, investir na Bolsa é incerto, já que os preços oscilam diariamente.

Vai investir em ações? Então, aproveite para conferir nosso artigo com dicas para escolher o melhor homebrooker!

Você já conhecia os Clubes de investimento ou ficou sabendo deles através deste artigo? Se curtiu o conteúdo, não deixe de compartilhar com aquele seu amigo que está louco para dar os primeiros passos na Bolsa de Valores!

Fernanda Reis
Redatora formada em Jornalismo pela Universidade Católica de Pernambuco, fotógrafa nas horas vagas e mãe da Aurora. Nascida e criada em Recife (PE). Em seus 28 anos de vida, sempre teve paixão por escrever e um interesse especial pelas áreas de Economia e Finanças.

Artigos Relacionados

Em Alta

Aguarde…

0