Desvende o mistério: como sair do cheque especial!


Hoje no Brasil superamos a marca dos mais de 64 milhões de endividados, segundo dados do Serasa S.A. mais de 30% desse número são por conta do cartão de crédito e cerca de 15% é relacionado ao cheque especial.

Nesse sentido, para aqueles com uma vida financeira irresponsável, o cheque especial se tornou algo prejudicial. O cheque especial representa um grande perigo para a vida financeira das pessoas, e isso não é nenhuma novidade.

Anúncios


Além disso, este tipo de crédito pré-aprovado apresenta uma taxa de juros altíssima. Embora seja um limite oferecido pelo banco, a verdade é que este dinheiro deveria ser usado apenas em casos de emergência.

Por isso, decidimos desvendar os mistérios para sair do cheque especial de uma vez por todas; quer descobrir quais os principais passos para isso? Então aproveita esse artigo, leia até o final e dê uma basta nessa dívida.

Vamos juntos?

Conheça um pouco sobre o cheque especial

É uma modalidade de crédito pré-aprovada disponível na conta do correntista em determinada instituição bancária para utilização do cliente em caso de emergência, ou seja, o dinheiro poderá ser utilizado quando o cliente quiser sem qualquer restrição imposta pelo Banco.

Anúncios

O limite do cheque especial é definido de acordo com a renda mensal comprovada pelo cliente no momento da abertura da conta corrente.


Quais as desvantagens de utilizar o cheque especial?

Fonte: Google
Anúncios


A principal são os juros aplicados ao limite; a cada resgate novo você pagará juros, sobre juros e mais juros. Isso ocorre porque, embora o cheque especial seja um dinheiro fácil, quando utilizado, a dívida deverá ser paga com a aplicação de juros e outros encargos, que são bastante elevados e podem chegar até 8% ao mês.

Porém, a taxa sofre variação de acordo com a política de juros de cada banco.

Assim, a facilidade de acesso ao dinheiro fácil faz com o que os clientes recorram ao limite a todo momento e consequentemente, com a cobrança das taxas e juros, entram em uma bola de neve e acabam endividados.

Anúncios

Como evitar o endividamento ao utilizar o cheque especial?

Nesse artigo iremos de instruir a não cair na armadilha do cheque especial, observe as dicas a seguir:

Primeira Dica – Reduza o limite do seu cheque especial

Bem vamos lá; o primeiro passo é reduzir o limite do seu cheque especial, se é do tipo de você que usa o limite sem nenhum controle ou critério financeiro, então é preciso urgentemente reduzir o valor disponível em sua conta corrente, ou, se você preferir, pedir o cancelamento do seu cheque especial.

Sem o valor disponível na sua conta corrente, consequentemente, as chances de você gastar mais do que pode serão reduzidas ou extintas. Se precisar de dinheiro utilize o empréstimo pessoal ou o empréstimo consignado, as taxas e juros aplicados são menores que no cheque especial.

Segunda Dica – Separe limite do cheque especial do saldo da sua conta corrente

Se você aprender a diferença entre o salda da sua conta corrente e o valor do cheque especial, sem dúvidas, não vai cometer o erro de sacar o que não é dinheiro seu. Esse é o principal erro das pessoas que utilizam o cheque especial, achar que o valor que está disponível na conta corrente é tudo saldo – dinheiro sem juros ou encargos.

Anúncios

Dessa forma, fique atento para não cair na armadilha e pensar que tem dinheiro sobrando na conta, isso não existe.

Terceira Dica – Tenha o controle sobre a sua vida financeira

Pois é! Saber o quanto ganhamos é ótimo, contudo, saber o quanto gastamos é essencial. Tenha o controle de suas finanças. Você saberia responder o porquê a maioria das pessoas estão endividadas? A resposta é simples: porque não sabem controlar o seu próprio dinheiro.

Se você criar o hábito de colocar na ponta do lápis todos os seus gastos desnecessários que você faz durante o mês, vai perceber o quanto desperdiça dinheiro. Assim, seja realista e faça uma comparação de suas receitas e gastos e observe se você tem vivido de acordo com a sua realidade financeira.

Quarta Dica – Procure o Banco e negocie sua dívida

Os Bancos não querem perder dinheiro, por isso, é possível que se você procurar o gerente de sua agência, ele te ajudará com a negociação da sua dívida. Assim, você conseguirá uma redução nos juros. Geralmente os bancos são interessados em receber o dinheiro, por isso, se você souber negociar vai conseguir um bom desconto.

Anúncios

Quinta Dica – Solicite o parcelamento da dívida

Pense assim; se o valor for muito alto, vale a pena parcelar a dívida. Você poderá pagar com mais tranquilidade uma quantia mensal que caiba em seu bolso e isso não vai te prejudicar.

Sabemos que o parcelamento da dívida nem sempre é a melhor opção e que quitá-la de uma única vez poderá conceber um desconto maior. Com isso você poderá utilizar algum fundo de emergência seu para isso; 13º salário, férias, entre outros.

Gostou do nosso conteúdo? Aproveite e compartilhe em suas redes sociais. Por fim, corre lá e ajuste o seu limite do cheque especial.

Artigos Relacionados

Em Alta